Masculinidade – Pare 2

Na primeira parte estabelecemos as principais mentiras usadas para desconstruir a masculinidade e afeminar os homens. A ideia de que a masculinidade é uma máscara e portanto frágil e patética, e a ideia de que é tóxica a não ser que mostremos nossas vulnerabilidades e entremos em conato com nosso “lado feminino”. E quanto mais os homens compram essas mentiras mais afeminados ficam e mais os valores femininos ganham importância, necessariamente em detrimento dos masculinos, na sociedade como um todo. Segurança acima da liberdade, “justiça” social acima de meritocracia, inclusão acima de competição e sentimentos acima de fatos.

Mas como essas mentiras são vendidas para os homens? Por que eles se voltariam contra si mesmos? Com mais mentiras é claro. As cinco principais são as seguintes:

Uma promessa de aliviar o fardo da performance

Ser homem é performar. Se torna homem, se nasce mulher. A mulher é um ser humano, o homem é um fazer humano. Valemos apenas aquilo que somos capazes de prover. Para as mulheres isso significa status, conexões sociais, suporte financeiro, proteção física, segurança emocional e psicológica, sexo de qualidade, boas emoções e filhos.

Inerentemente estamos cientes de que a partir do momento em que não mais consigamos performar, o amor acaba. Talvez não imediatamente, mas é uma questão de tempo. Como disse o comediante Chris Rock: “Se você perder o seu emprego vai perder a sua mulher. Ela pode não te deixar no dia em que perder, mas o relógio está correndo”. A comédia parece ser um dos únicos lugares onde ainda de pode dizer verdades.

A reação inicial mais comum ao fardo de performance é uma reação muito negativa. Mas enxergar o fardo de performance como algo negativo é ter uma perspectiva afeminada. Isso porquê o fardo de performance representa a necessidade da força, do risco, da competição e da vitória. O antílope é rápido pois o leão corre atrás dele. Você é, ou deve tentar ser tanto quanto possível, forte, habilidoso e bem sucedido porquê pesa sobre você o fardo da performance. O fardo da performance é o que nos torna homens. É um presente.

Mas muitos homens choram, reclamam e se vitimizam: Por quê eu? mimimi É tão injusto. Eles não querem jogar o jogo dos homens. Querem ficar em segurança com as mulheres e as crianças. Para esse tipo afeminado, fraco, covarde e desonroso a promessa de alívio do fardo de performance é tudo que ele quer ouvir. A promessa de que ele será amado não mais por ser “o que” ele é, mas por ser “quem” ele é. Mas no final das contas nem as mulheres e nem o mundo se importam com “quem” você é ou qual a sua cor favorita, mas com “o que” você é. Forte ou fraco, corajoso ou covarde, habilidoso ou incompetente, honroso ou desonroso, vencedor ou perdedor.

Um apelo moral ideológico ao equalismo igualitário

Apelar para a falsa ideologia da igualdade. Todo o movimento feminista foi construído sobre essa premissa e sem ela todo seu projeto desaba como um castelo de cartas. O primeiro documento feminista da modernidade é a declaração de sentimentos publicada por Elizabeth Stanton em 1848. Essa declaração consiste na enumeração de 16 exemplos de desigualdade de direitos ou resultados entre os homens e mulheres. Tendo enumerado essas desigualdades eles afirmam que partem da premissa de que os homens e as mulheres são criados iguais e que portanto as mulheres são oprimidas. Todo esse projeto feminista moderno é fundamentado na ideia de que os homens e as mulheres são iguais funcionais. Aqui é feito o apelo moral, a acusação de opressor.

Identificação com o feminino como uma estratégia sexual

Vende-se aqui a ideia de que se identificar com o feminino, seus interesses e seus valores vai te deixar mais atraente para o sexo oposto. Na realidade apenas revela o quão incapaz de jogar o jogo dos homens você realmente é.

Não ser como “os outros caras”

Em uma sociedade na qual a masculinidade é demonizada e os garotos são tratados como garotas deficientes, na qual muitos garotos enxergam os “babacas” dos seus pais da perspectiva de suas mães solteiras, surge o desejo de “não ser como os outros homens”. A premissa de que há algo errado com os homens é uma crença necessária para ter esse pensamento. Se você já disse isso, tenho um conselho para ti. Em vez de ser um afeminado talvez você devesse se reconectar com o “babaca” do seu pai. Ele comeu a sua mãe, então deve ter feito algo certo.

Um porto seguro. A possibilidade de um amor que não seja condicionado no fardo da performance

Essa é realmente uma continuação da primeira mentira. A primeira trata de não querer fazer o trabalho e correr os riscos para obter sucesso, Essa já é o desejo do homem que fez o trabalho de não ter que continuar mantendo tudo que ele construiu. O desejo de um porto seguro para a tempestade da competição sexual. Mas a verdade é que tal porto seguro não existe.

Aqui se vê homens facilitando a realidade feminina como uma forma de gerar crédito no relacionamento, Homens que deixam de ir na faculdade para trabalhar duro e pagar a faculdade de suas mulheres por exemplo. Eles pensam que assim obtém crédito, que suas mulheres não vão deixa-los caso deixem de performar. Mas não é assim que funciona. Não importa o quão bom pai ou marido você seja, ou quantos sacrifícios faça para facilitar a realidade da sua mulher, a hipergamia não se importa.

Masculinidade – Parte 01

A masculinidade está sob ataque de todos os lados há décadas. Você cresceu e vive em uma sociedade que te ensinou que a masculinidade é a doença e a feminilidade é a cura. Desde os shows de televisão, filmes, seus pais, a pedagogia na escola, tudo na nossa cultura ocidental no século XXI foi feito para atacar a masculinidade convencional, retratando ela como patética ou perigosa. A forma como você enxerga ou deixa de enxergar a masculinidade é condicionada por várias mentiras propagadas pelo imperativo feminino. Vamos demolir essas mentiras aqui.

Pensa num pai de família. Homer Simpson, Peter Griffin, perdedores otários que tem sorte que suas belas e brilhantes esposas os toleram. Toda essa conversa de masculinidade tóxica gerando violência. Masculinidade é estoicismo, controle emocional, agir da forma correta independentemente de como você se sente. O que é tóxico é a falta de masculinidade. Sem ela os homens se tornam bebês que abandonam toda a responsabilidade pela sua própria situação e monstros que não controlam seu ódio resultante da falta dessa responsabilidade. Todo garoto que levou uma arma para escola e matou os coleguinhas não assumiu responsabilidade pelo próprio fracasso com as mulheres e nem controlou sua raiva.

               A masculinidade convencional é taxada de tóxica, chauvinismo e machismo e é exigido de você que a abandone em prol de uma ideologia de suposto equalismo igualitário. Recusar-se a dobrar o joelho diante de tal narrativa e beijar o anel do imperativo feminino faz de você a pior pessoa da história e um pária, impróprio para integrar a civilização respeitada.

               A primeira mentira é de que a masculinidade é “frágil”. Se você digitar masculinidade no google os dois termos complementares que vão aparecer serão “frágil” e “tóxica”. Essa ideia de que a masculinidade seria frágil é proveniente da ideia maior de que a masculinidade não passa de uma máscara que os homens usam. Durante toda a história foi evidente e senso comum de que homens eram homens e mulheres eram mulheres, mas nos tempos atuais a narrativa correta é que todos somos mulheres e a masculinidade não passa de uma máscara que os homens vestem.

               A ideia é que ser masculino é patético, frágil e errado e a solução é ser mais feminino. Não chorar, manter suas emoções sob controle e agir da forma correta como a situação exige, ou seja, estoicismo, é pintado como tóxico. Enquanto que chorar como uma garotinha e reclamar é a suposta reação saudável que os homens deveriam adotar.

               A masculinidade conquistou o mundo, construiu a civilização e a mantém todos os dias. Mas de repente devemos acreditar que tudo isso deve ser abandonado em prol de ser uma vadiazinha e que isso vai ser bom para a sociedade de alguma forma.

               Dentro dessa grande mentira é feito um truque muito malandro. O imperativo feminino convenceu vários “homens” – Realmente eles são uma geração de garotos perdidos – por ai que mostrar vulnerabilidade é alguma forma de força. De novo, os homens devem supostamente negar o masculino e se identificar com o feminino. Em vez de ser estoico e forte ele deve chorar em público e dizer que “também tem sentimentos”. E o imperativo feminino vende a ideia de que revelar vulnerabilidade – Ou seja, negar o masculino e se identificar com o feminino – é uma estratégia eficaz para obter acesso sexual. Isso é obviamente mais uma mentira. As mulheres já são mulheres e querem – Como sempre quiseram e sempre vão querer – um homem masculino. As mulheres perdem o controle, são desequilibradas, choram e fazem uma bagunça. O homem delas por outro lado é grande, forte, estoico e serve como a rocha contra a tempestade. Homens e mulheres são complementares, não iguais.

               Mostrar a sua vulnerabilidade não tem absolutamente nada a ver com força. Mostrar suas vulnerabilidades tem a ver com submissão. É o que os cachorros fazem quando desejam mostrar submissão, viram e mostram a barriga, sua maior vulnerabilidade. Os medos e fraquezas de um homem devem ficar entre ele e Deus, ou o silêncio da indiferença do universo, caso você seja ateu. Mostrar fraqueza, vulnerabilidade e chorar é coisa de mulher e de criança. Isso pois mulheres e crianças tem valor por sí mesmos. Homens só valem aquilo que são capazes de prover. Mulheres são seres humanos. Homens são fazeres humanos e jamais são amados incondicionalmente. Quando mulheres e crianças choram eles recebem ajuda. Quando um marmanjo crescido chora ele recebe o que ele merece: Desprezo, nojo e talvez violência. Os tubarões vem quando há sangue na água. Foda-se entrar um contato com o seu lado feminino. Isso nem existe. Existem homens e mulheres. Você é um homem. Comece a se comportar como um.

Transformando um número fraco em um encontro

Essa abordagem durou menos de 3 minutos (Veja ela aqui: https://youtu.be/Og4GW7B2IYQ), o que não é tempo suficiente para executar o modelo completo. Isso acontece ás vezes, nesse caso por a garota estar com muita pressa. Em casos como esse geralmente é preciso fazer mais do trabalho pesado pelo jogo do texto.

Eu mando a sonda assim como no meu modelo de jogo de texto – Disponível gratuitamente para download aqui no site – e a resposta dela é mediana, então eu mando uma resposta no mesmo dia, mas uma resposta breve, com a intenção de mandar um pingo no dia seguinte.

Ela sentiu uma queda na minha atenção e começou outra conversa com um teste. Eu passo o teste e testo ela de volta.

Ela se qualifica direitinho e não mando mais nada no primeiro dia.

Eu decidi continuar a conversa focando em atração, com respostas que enfatizam atração (O meu VALOR) em vez de conforto (Minha disposição de INVESTIR). Isso por uma mistura de perfil da garota com o fato de a abordagem ter sido bem curta.

Ela respondeu bem o suficiente então eu tentei criar um pouco de conforto e começar o processo de marcar o encontro. Ela não respondeu e no dia seguinte mandei apenas o ponto de interrogação por assumir que nessa altura do campeonato seria mais apropriado exigir uma resposta que começar uma conversa do zero com um pingo.

Ela responde só no dia seguinte e a resposta é negativa. Não disse quando está livre e falou estar muito ocupada.

Como a resposta dela foi negativa eu decidi voltar para os pingos.

Ela respondeu, eu respondi e silêncio.

Outro pingo e agora ela morde a isca de novo.

Eu não desperdiço tempo, assim que a conversa está positiva e ela está investindo novamente, eu tento marcar o encontro.

A resposta dela não é tão boa quanto poderia ser, mas é melhor do que antes.

O print do texto que mandei foi a definição de musa de um dicionário, o que é uma provocação já que é insinuar que ela deveria saber.

Ela perguntando como que pode saber se estaria segura saindo comigo poderia ser facilmente interpretado como um teste do meu valor mas nesse caso interpretei como um teste de conforto e interpretei certo. O meu palpite – que depois confirmei em pessoa – foi que ela contou a história para as amigas e elas disseram que não era seguro. Agora é hora de mostrar empatia. Observe como eu faço isso ao mesmo tempo em que mantenho minha dominância e sem perder a vibe sexual.

Minha resposta foi tão boa que ela quase se desculpou por ter perguntado. Agora é apenas uma questão de resolver a logística.

No áudio eu expliquei que o bar não era tão próximo do metrô e ofereci carona.

Como eu já previ que os 1.6km do metrô até o bar seriam demais para ela, troquei o local sugerido para um do lado do metrô.

O encontro agora está marcado já que local, dia e hora estão decididos e concordados. Ela reinicia a conversa mandando uma foto dela e construindo conforto comigo, o que é um excelente sinal.

Eu fico no conforto já que o encontro já está marcado e apenas tomo cuidado para manter a vibe sexual.

O encontro é confirmado algumas horas antes.

O encontro acontece e é bem sucedido!

Os 7 Testes mais comuns que as garotas usam durante o dia

1 -“Eu tenho que ir”

Como Passar: Ignorar completamente. Caso ela fale isso de novo e realmente precise ir então convide-a para um encontro no futuro e pegue o número dela. Não deixe de fechar o negócio por causa disso.

2 -“O que você faz?”

Como Passar: Você quer dar uma resposta que não é séria e nem lógica, como “Eu faço drogas” ou “Eu bebo cerveja e sei de coisas”. Quando ela rir, você sabe que funcionou. Depois disso você pode dar a resposta lógica, mas sem tentar impressionar (Se qualificar).

3 – “Por que você não me da o seu número?” (Quando você pede o número dela)

Como Passar: “Me passa o seu número que eu te mando uma mensagem.” Se ela insistir: “Não se preocupe, eu sou um garoto crescido. Eu vou te mandar uma mensagem e se você não responder prometo que não vou chorar”

4 – “Eu tenho um namorado”

Como Passar: Você pode ignorar, tornar insignificante dizendo algo como “Eu tenho um cachorro” e prosseguindo ou deixando claro sua proposta de valor: “Eu agradeço o elogio, mas não quero ser seu namorado”

5 – “Você sempre aborda garotas na rua?”

Como Passar: Concordar e exagerar, dizendo algo como: “Toda garota. Você é a número 364 hoje. Até abordei minha avó hoje de manhã. Super esquisito”. Ou reinterpretar: “A vida é curta. Quando eu vejo algo que eu quero, vou atrás. Não concorda?”

6 – “O que você quer?”

Como Passar: Não esconda as suas intenções. “Eu sou um homem, você é uma garota. Eu te achei bonita e decidi ver se você é interessante”

7 – Ela leva a conversa para um bate papo irrelevante de elevador

Como passar: Corte o assunto e lidere a conversa para onde ela tem que ir

5 Filmes sobre Sedução

-1- Hustle On Documentary – Tom Torero – 2018

Esse filme é um documentário feito por um dos melhores daygamers do mundo na atualidade, viajando o mundo e entrevistando daygamers de vários níveis de habilidade ao redor do mundo explorando suas jornadas, experiências, habilidades, dificuldades e dúvidas. Obrigatório para todo fã de daygame. Ele pode ser encontrado gratuitamente no youtube no seguinte link: https://www.youtube.com/watch?v=RaQXHAXsImk&t=2121s

-2- Alfie – Michael Caine – 1966

A história de um mulherengo inglês nos anos 60. Uma aula sobre perspectivas e atitudes da sociedade secreta, relacionamentos e os dilemas de um jogador

-3- Swingers – Vince Vaughn – 1996

Um filme muito divertido onde você pode acompanhar o sedutor Vince Vaughn ajudar o seu amigo beta a superar o término de seu relacionamento, ver a vida com novos olhos e adquirir algumas habilidades de sedução

-4- Wedding Crashers – Vince Vaughn – 2005

A história de dois sedutores que gostam de entrar de penetra em casamentos para seduzir mulheres e se meter em confusões

-5- Vicky Cristina Barcelona – Javier Barden – 2008

Um excelente filme para ver a diferença entre o que as mulheres logicamente querem (O noivo beta de Rebecca Halle) emocionalmente querem (O alfa pintor e mulherengo, Javier Barden). Esse filme retrata os dilemas que as mulheres encontram em suas contradições.

A Tríade Sombria

No meu último podcast – Podcast 21 Um enorme… Ego?! – eu mencionei a tríade negra da personalidade e como ela pode te conferir carisma e magnetismo mas não me aprofundei no assunto. Vou fazer isso aqui

A tríade negra da personalidade é composta de psicopatia, maquiavelismo e narcisismo. Esses três traços de personalidade são importantes para um sedutor.

Psicopatia é a frieza. A capacidade de ser frio. Como Rosebudd Bitterdose disse, a capacidade de ir de gelo para iceberg em um segundo. Não realmente se importar quando ela te dá afeto, não reagir emocionalmente aos testes dela e ter a capacidade de seguir em frente e deixar ela para trás. Essa frieza é um ingrediente essencial.

Maquiavelismo é a manipulação. A sua capacidade de usar uma técnica específica para gerar a resposta desejada. Sua capacidade de fingir emoções como desinteresse para ela correr atrás de você ou fingir interesse além do sexual para faze-la baixar a guarda. Flertar com outra mulher na frente dela para usar ciúmes. Escolher o bar que tem um canto com um sofá escuro, ou que é mais próximo da sua casa. Manipular todos os fatores possíveis para satisfazer a sua agenda pessoal.

Narcisismo é a confiança, a ousadia, segurança e até mesmo arrogância. Isso é o que te traz aquele magnetismo, charme e vibe “alpha”. Pense no Homem de Ferro, Charlie Harper ou Scarface. Narcisismo te torna sexy, provocante e misterioso.

Essas características te fazem um sedutor melhor, e a prática regular do jogo vai fazer com que esses aspectos da sua personalidade cresçam e fiquem em destaque. Isso voa na cara daqueles que querem pintar a sedução como algo bonitinho e limpinho. Sedução é algo belo da mesma forma como um leão devorando uma gazela é belo. É belo de uma forma aterrorizadora, visceral e bagunçada.

Estatísticas Realistas para DayGame

É importante alinhar expectativas. Quero deixar bem claro o que eu estou prometendo ser possível. Daygame não é uma pílula mágica que vai te tornar imune às leis do mercado sexual, é apenas uma forma de explorar essas regras para se sair melhor.

Não existe sedutor no mundo que tenha sucesso com todas as garotas que aborda. Aliás, todos os sedutores “fracassam” – não fecham o negócio – na maioria das vezes. É como vendas. A maioria dos clientes que você abordar não vai comprar. Faz parte do jogo. Nunca deixa de ser um jogo de números, mas as suas chances aumentam muito.

Afinal de contas Jake, quantas abordagens preciso fazer para levar uma gatinha para cama? Depende da sua faze de aprendizado. Vou dividir aqui as fases de aprendizado em 3: Iniciante, Intermediário e avançado.

Os resultados de um iniciante, com menos de 6 meses e 500 abordagens de prática, ficarão provavelmente entre 0/0 e 1/400 garotas. Ou seja, ou ele vai ser incapaz de levar qualquer garota para cama ou vai ter que abordar 400 garotas para conseguir uma. A definição de um iniciante é que ele não consegue ter sucesso consistentemente.

Já um intermediário, com entre 6 meses e 2 anos de prática, 1000-2000 abordagens de prática, terá resultados entre 1/400 e 1/100. Um intermediário já consegue ter sucesso consistentemente. Digamos que ele tenha uma taxa de conversão de 1/120 e aborde 30 garotas por semana em três sessões de daygame. Ele terá uma nova garota todo mês. Lembrando que essas garotas são as que o sedutor realmente deseja, e não garotas com as quais ele aprendeu a se contentar. São 12 novas garotas por ano. Em 10 anos de solteiro são 120 garotas bonitas, do tipo que o sedutor deseja. Quantos homens tem esse nível de sucesso? Ou seja, o que define um intermediário é que ele consegue ter sucesso consistentemente, mas tem que trabalhar duro para isso.

Um avançado, com mais de 2 anos e 2000 abordagens de experiência vai ter uma taxa de conversão de abordagem para sexo entre 1/100 e 1/25. A marca do avançado é que ele é muito mais eficiente e não precisa fazer muito esforço, apesar de que continua sendo um jogo de números.

Em conclusão, daygame não é uma tarefa fácil e é uma habilidade que exige tempo e esforço para desenvolver. Tendo dito isso, os resultados são absolutamente incríveis e capazes de te proporcionar uma abundância afetiva e sexual incrível em qualquer lugar que você estiver. Se levado a sério, esse hobbie vai mudar a sua vida para sempre.

Ser um chefe na vida

Quando você entre em uma jornada em busca de sucesso e excelência, lutando contra seus medos, preguiças e racionalizações, é bom estar preparado para ouvir e ignorar todo tipo de besteira daqueles que escolheram o caminho aparentemente fácil de ceder à preguiça e sucumbir ao medo, racionalizando tudo em um pacote bonitinho, pintando você como um babaca.

Hoje eu vou te preparar para essas acusações e te dar um pé na bunda. Um pé na bunda que frequentemente tenho que dar em mim mesmo. Quais são essas acusações? As duas principais são egoísmo e superficialidade. Vão te chamar de egoísta e superficial. Se você fizer direito.

Se você é novo nesse jogo e sua meta narrativa não for sólida, vai dar ouvidos à idiotas e começar a se questionar. Buscar sexo é superficial? A primeira coisa que você tem que se perguntar é: Quem fez a acusação? Essa pessoa é mais bem sucedida que você nessa área da vida? Ela é mais feliz que você? Se não, por que diabos está dando ouvidos?

Não ouça conselhos de quem é menos feliz que você. Quem não come ninguém e mal consegue falar oi para uma garota vai te acusar de estar tentando compensar alguma coisa, de ser egoísta, de só estar tentando gratificar o seu ego. Quem está sempre falido e tem que tolerar um chefe babaca só para chegar em casa e ainda ter que torcer para não terem cortado a luz vai dizer que dinheiro não traz felicidade. Obesos que não conseguem subir um lance de escadas sem suar como um porco vão te acusar de narcisismo por ir na academia. As pessoas tem bocas e podem falar o que quiser. Você tem ouvidos e pode escutar o que quiser. Se pergunte, essa pessoa que está me acusando de ser superficial é mais feliz que eu?

Ter muito dinheiro não é sobre comprar besteiras para ostentar no Instagram. É sobre ficar tranquilo quando fica doente porque sabe que pode pagar os melhores médicos da cidade. Não em três meses, mas amanhã. É sobre respirar tranquilamente quando chega a sua fatura do cartão de crédito. É sobre não precisar aturar um chefe abusivo só para por comida na mesa. As coisas realmente importantes que o dinheiro compra são intangíveis. Paz mental. Ausência de stress, saúde, segurança, tranquilidade, e acima de tudo liberdade para fazer o que quiser com o seu tempo precioso nessa terra. Acha que isso não vai te fazer mais feliz? Não há nada de superficial em querer ganhar muito dinheiro. Também não há nada de egoísta. Que amigo você prefere ter? Um que está sempre fudido, pedindo favores, ou um que se garante e tem dinheiro para sair com você e vir te visitar? Você vai ser mais feliz e vai fazer as outras pessoas à sua volta mais felizes se tiver dinheiro. Não tem nada de egoísta ou superficial nisso. Pelo contrário. Mostra realismo, maturidade e sede pela vida. Superficial é acusar os outros de egoístas e superficiais para não ter que assumir responsabilidade pelos seus problemas.

A mesma coisa vale para o sexo. Ser rico em termo de mulheres é sobre ficar tranquilo quando uma garota não responde suas mensagens, começa a te tratar mal, sai com outros caras ou não quer mais sair com você. Porquê você sabe que tem outras e que pode substituir ela. Não daqui um ano, mas em duas semanas ou menos. É sobre respirar tranquilamente quando um encontro não está indo bem. É sobre não ter que aturar uma namorada abusiva só para poder transar. É sobre não precisar investir seu precioso tempo nessa terra assistindo filme de garota e fazendo coisas que não quer fazer na esperança de um dia comer a sua amiga. Não há nada de superficial em querer desenvolver suas habilidades de sedução e ter várias garotas. Quem te acusa de ser superficial e egoísta é mais feliz que você? Vou adivinhar que não. Não há nada de superficial nem egoísta nisso. Pelo contrário, mostra maturidade e realismo. Superficial é não conseguir comer ninguém e ficar fantasiando com romances da Disney e acusando os outros para não ter que assumir responsabilidade pelos seus problemas. Que amigo você prefere ter? Um carente desesperado que vai tentar comer a sua namorada se achar que tiver chance porque está tão desesperado que uma trepadinha vale mais que um amigo para ele. Ou um amigo que passa o rodo e não comeria a sua namorada se ela pulasse pelada no colo dele porquê ele transa com mulheres bonitas o tempo todo e para ele um amigo vale muito mais do que isso?

Os seres humanos são fracos, covardes, medrosos e preguiçosos. As pessoas inventam desculpas para fugir dos seus problemas e racionalizam seus problemas em vez que assumir responsabilidade por eles. Mas a verdade é que ter dinheiro para mandar seu chefe tomar no cú e ficar tranquilo vai te fazer mais feliz que suar frio quando chega a fatura do cartão. E ter três gatinhas como amizades coloridas vai te fazer mais feliz que não comer ninguém ou tolerar abuso de uma namorada mediana só para poder transar. Não significa que dinheiro e mulheres sejam tudo, mas se você não consegue nem fazer isso, então ser feliz vai ser muito difícil. Se a felicidade é uma moto, mulheres e dinheiro são as duas rodas dessa moto. Não são tudo, mas sem elas nada mais funciona direito.

            As pessoas fogem dos próprios problemas e para racionalizar a própria preguiça e covardia, inventam que se importam com espiritualidade, com altruísmo ou com as baleias. Não estou dizendo que você não possa se importar com as baleias. Estou dizendo que se não tem a capacidade de se importar com a própria vida e com os problemas graves e urgentes que tem, então provavelmente também não tem a capacidade de se importar com as malditas baleias e está usando elas como desculpa para justificar seu fracasso. Tome cuidado com pessoas que não resolveram nem a própria vida e vem cuidar da sua. As pessoas só usam a carta da superioridade moral quando não tem mais nenhuma carta para jogar. Fodam-se as baleias. Vá ganhar dinheiro.

            Você tem uma escolha nessa vida. Pode assumir responsabilidade pelos seus problemas ou fugir deles. Essa é a escolha. Você pode escolher estudar algo difícil e valorizado que te leve à um bom emprego, ou pode escolher estudar letras. Pode decidir abordar 30 garotas por semana até desenvolver suas habilidades e criar abundância na sua vida, ou pode ficar implorando migalhas no Tinder e sonhando com a sua princesa. De qualquer forma você paga um preço. Escolher assumir responsabilidades e abordar as garotas é o caminho difícil. Vai envolver enfrentar sua ansiedade, seus medos, sofrer rejeição após rejeição após rejeição. Mas depois que tiver as habilidades vai desfrutar de abundância e tranquilidade para o resto da sua vida. O outro caminho, fugir do problema e racionalizar, é o mais difícil ainda. Não vai pagar o preço agora, vai pagar para o resto da sua vida o preço de uma vida sexual escassa e miserável. Em vez de ser alguém, vai ser um poderia ter sido.  Só existem esses dois caminhos na vida. O difícil e o mais difícil ainda. Ou paga o preço agora ou paga depois e com juros. Ninguém passa por essa vida sem pagar caro. Então você pode escolher.

A maioria das pessoas é idiota. Foda-se o que elas falam. Você é melhor do que elas. E se não é então se torne. E você não é melhor do que elas porquê não sente medo, ressentimento e preguiça. É melhor do que elas porquê apesar de ser igual a elas, faz escolhas melhores.

Eu não estou falando isso para te atacar. Eu nunca falaria assim com uma pessoa aleatória que conheci em um bar. Mas você não é uma pessoa aleatória. Está ouvindo esse podcast. Então eu estou falando com você como falo para mim mesmo.

Você já sabe o que tem que fazer. Então pare de fugir da verdade e assuma responsabilidade pela sua vida.

Quer ser feliz? Então não seja otário. Como o sábio uma vez disse: Foda vadias, faça dinheiro